O quão universal é o Edital Universal do CNPq!?

edital universal

O CNPq acabou de divulgar o último resultado de seu Edital Universal (Faixa A, Faixa B e Faixa C).

Aproveitando o embalo da análise que fiz sobre a distribuição das bolsas de produtividade em pesquisa do CNPq resolvi dar uma olhada também na universalidade do Edital Universal.

Provavelmente forçado pela Lei de Acesso à Informação o CNPq utiliza agora, além do formato PDF, o formato XML para divulgar os resultados dos seus Editais, o que facilita bastante o processamento das informações disponíveis.

Baixei os resultados do Edital Universal de 2007 a 2013 e escrevi um programinha com algumas poucas linhas para extrair os dados dos arquivos e jogar em uma planilha.  Vamos então aos números.

Primeiro vejamos os números absolutos sobre o Edital, ilustrados no gráfico abaixo.

evolucao-numero-propostas

É possível ver que houve uma queda brutal no orçamento destinado ao Edital entre os anos de 2007, quando foram aprovadas 4.106 propostas, e 2008, quando esse número caiu para 2.745. De lá para cá o orçamento foi aumentando gradativamente e só agora em 2013 a quantidade de propostas aprovadas ultrapassou o número de 2007, chegando a 4.628 projetos financiados.

Essa redução e recomposição orçamentária teve impacto também na quantidade de instituições beneficiadas (universalidade geográfica?), como ilustrado abaixo.

instituicoes-contempladasEm 2007, pesquisadores de 393 instituições tiveram propostas contempladas no edital Universal. Esse número teve uma queda em 2008 e se manteve mais ou menos estável até 2013, quando chegou a 392 instituições, equiparando-se ao ano de 2007. Nesse período, pesquisadores de 903 instituições diferentes tiveram propostas aprovadas no Edital Universal.

Update (30/10/2013): Em relação a quantidade de pesquisadores contemplados, analisei quantos pesquisadores tiveram projetos aprovados nos últimos 7 anos e quantos projetos cada pesquisador aprovou. Os números são, no mínimo, curiosos.

Nos últimos 7 anos foram aprovadas 25.623 projetos e contemplados 18.100 pesquisadores, o que dá uma média de 1,4 projetos por pesquisador. Esse número me parece bem razoável.

Porém, ao analisar quantos projetos cada pesquisador teve, apareceram alguns números bem estranhos. Por exemplo, 11 pesquisadores tiveram 5 projetos e 185 tiveram 4 projetos aprovados nos últimos 7 anos, o que implica em ter mais de um (talvez mais de dois) projetos em vigência ao mesmo tempo, o que, se não me engano, fere as regras do Edital.

Update 2 (31/10/2013): Revi todos os editais de 2007 a 2013 e apenas os editais de 2011 e 2013 proibiam a submissão de um projeto já tendo outro projeto em andamento. Portanto, é perfeitamente legal ter 4 ou 5 projetos aprovados neste período. No caso de 5 projetos, uma combinação possível seria, por exemplo, 2007, 2008, 2009, 2011 e 2013.

Porém, dos 11 pesquisadores com 5 projetos aprovados no período, apenas 2 se encaixam no caso acima. Os outros 9 tiveram projetos aprovados em 2010 e 2011 ou em 2012 e 2013, o que, teoricamente, não seria permitido. 

Mesmo assim, não é possível afirmar categoricamente que nesses casos houve erro do comitê de avaliação uma vez que estes pesquisadores podem ter solicitado, por alguma razão, o cancelamento do projeto em andamento antes da submissão para o edital seguinte.

Não fiz análise semelhante para os pesquisadores que tiveram 2, e ou 4 projetos aprovados no período portanto é possível que existam outros casos semelhantes, com projetos aprovados em sequência em 2010 e 2011 ou em 2012 e 2013.

Obs: Em hipótese alguma divulgarei o nome de qualquer dos pesquisadores incluídos nesta análise. Minha intenção não é expor ninguém individualmente. Até porque, como já mencionei, existe uma explicação perfeitamente legal para ter 4 ou 5 projetos aprovados neste período de 7 anos.

E por falar em instituições, vamos aos números referentes as instituições que mais aprovaram projetos no Edital Universal ao longo desses 7 anos. A tabela abaixo apresenta os dados das 20 instituições que mais aprovaram projetos no Edital Universal. Juntas, estas instituições foram responsáveis por 13.754 dos 25.623 projetos financiados (54%).

Posição  Instituição 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Total
1 Universidade de São Paulo 311 261 240 277 249 246 261 1845
2 Universidade Federal do Rio de Janeiro 261 146 192 188 174 256 167 1384
3 Universidade Federal de Minas Gerais 160 134 118 171 163 210 232 1188
4 Universidade Federal do Rio Grande do Sul 223 122 129 151 160 223 171 1179
5 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho 109 74 93 105 110 103 132 726
6 Universidade Federal de Pernambuco 118 69 90 97 105 117 129 725
7 Universidade Federal de Santa Catarina 96 80 67 95 92 126 129 685
8 Universidade Federal do Ceará 119 56 84 85 90 111 101 646
9 Universidade Estadual de Campinas 119 93 73 79 85 77 91 617
10 Universidade de Brasília 75 39 54 85 77 74 134 538
11 Universidade Federal do Paraná 74 58 58 79 90 80 75 514
12 Universidade Federal de Viçosa 86 36 65 53 66 89 82 477
13 Universidade Federal do Rio Grande do Norte 62 38 57 72 80 59 83 451
14 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária 96 40 41 43 78 71 77 446
15 Universidade Federal da Paraíba 49 40 57 47 67 58 91 409
16 Universidade Federal de Goiás 60 30 46 64 70 66 71 407
17 Universidade Federal de Santa Maria 80 36 44 51 47 76 65 399
18 Universidade Federal do Pará 52 36 35 48 59 64 85 379
19 Universidade Federal da Bahia 62 45 55 56 50 54 52 374
20 Universidade Federal de São Paulo 50 39 48 39 57 47 85 365

Esses números não são completamente precisos pois alguns pesquisadores informaram  como sua instituição uma sub-unidade de uma instituição (exemplo: Instituto de Física, Centro de Informática, etc) e isso acaba por impedir uma contabilização exata.

A tabela com a listagem completa das 903 instituições contempladas está disponível aqui.

Partimos agora para a distribuição por área, que no caso do Universal, são chamadas Comitês e combinam o que são áreas distintas em outros editais do CNPq, como o de bolsas de produtividade.

Os projetos aprovados estão distribuídos entre 51 comitês, conforme apresentado na tabela abaixo.

Posição Comitê 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Total %
1 Agronomia 307 163 153 158 194 274 289 1538 6,0%
2 Biofísica, Bioquímica, Farmacologia, Fisiologia e Neurociências 234 175 133 186 158 240 194 1320 5,2%
3 Química 251 187 165 180 139 156 195 1273 5,0%
4 Medicina 181 179 154 132 165 145 182 1138 4,5%
5 Física e Astronomia 175 151 149 150 106 127 204 1062 4,2%
6 Microbiologia e Parasitologia 132 88 77 129 110 122 141 799 3,1%
7 Ciências Ambientais 159 61 91 98 123 128 137 797 3,1%
8 Educação 88 82 104 112 117 124 140 767 3,0%
9 Ciências da Computação 142 77 100 85 101 89 144 738 2,9%
10 Educação Física, Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional 50 74 75 85 131 98 183 696 2,7%
11 Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais 115 63 73 106 100 98 123 678 2,7%
12 Medicina Veterinária 113 66 73 89 95 116 114 666 2,6%
13 Antrop., Arqueol., C. Política, Direito, Rel. Internacionais e Sociologia 55 64 63 89 104 112 136 623 2,4%
14 Ciência e Tecnologia de Alimentos 70 66 49 93 100 117 117 612 2,4%
15 Farmácia 86 54 61 90 113 102 105 611 2,4%
16 Arquitetura, Demografia, Geografia, Turismo e Planejamento Urbano e Regional 66 50 64 70 89 91 178 608 2,4%
17 Administração, Contabilidade e Economia 69 50 73 82 92 89 148 603 2,4%
18 Saúde Coletiva e Nutrição 84 64 66 64 115 92 106 591 2,3%
19 Comitê Presidência 0 0 125 210 254 0 0 589 2,3%
20 Zootecnia 114 62 60 28 86 123 113 586 2,3%
21 Genética 94 74 58 69 71 92 97 555 2,2%
22 Engenharia Elétrica e Biomédica 92 62 69 76 80 74 102 555 2,2%
23 Engenharia Mecânica, Naval e Oceânica e Aeroespacial 73 51 66 54 78 79 77 478 1,9%
24 Odontologia 93 52 63 67 63 57 75 470 1,8%
25 Biotecnologia 77 0 49 58 66 98 101 449 1,8%
26 Psicologia e Serviço Social 55 48 53 67 62 77 86 448 1,8%
27 Geociências 116 42 33 49 70 55 68 433 1,7%
28 Engenharia Química 73 39 44 56 61 56 63 392 1,5%
29 Ecologia e Limnologia 71 62 38 53 54 51 50 379 1,5%
30 Engenharia Civil 59 39 65 61 40 47 53 364 1,4%
31 Zoologia 68 38 43 51 55 41 56 352 1,4%
32 Enfermagem 35 33 31 56 51 70 74 350 1,4%
33 Matemática e Estatística 44 41 46 39 31 38 105 344 1,3%
34 Artes, Ciência da Informação e Comunicação 37 32 42 51 40 52 84 338 1,3%
35 Botânica 66 42 39 45 38 42 49 321 1,3%
36 Engenharia de Produção e de Transportes 44 37 48 36 38 41 65 309 1,2%
37 Imunologia 58 36 31 44 42 45 51 307 1,2%
38 Engenharia Agrícola 82 27 34 39 33 40 43 298 1,2%
39 Morfologia 43 33 22 47 33 51 59 288 1,1%
40 Letras e Lingüística 34 37 28 39 47 45 58 288 1,1%
41 Aqüicultura e Recursos Pesqueiros 51 30 29 39 48 48 37 282 1,1%
42 Recursos Florestais 49 17 38 29 40 52 47 272 1,1%
43 História 24 19 28 41 31 34 60 237 0,9%
44 Oceanografia 44 23 24 35 30 34 32 222 0,9%
45 Energia Nuclear, Energia Renovável e Planejamento Estratégico 32 18 17 23 23 19 23 155 0,6%
46 Microeletrônica 23 8 11 15 20 16 15 108 0,4%
47 Filosofia 12 7 11 15 9 20 28 102 0,4%
48 Desenho Industrial 14 8 7 11 6 12 12 70 0,3%
49 Multidisciplinar 51 14 0 0 0 0 0 65 0,3%
50 Divulgação Científica 0 0 6 5 9 7 9 36 0,1%
51 Defesa 1 0 0 0 0 0 0 1 0,0%

Neste caso, os 20 primeiros comitês concentram 16.295 (64%) dos 25.623 projetos aprovados ao longo destes 7 anos.

Nesta tabela há um dado que achei bastante curioso. Em 19o lugar está um comitê denominado “Comitê Presidência” que aprovou 589 projetos entre os anos de 2009 e 2011. Selecionei aleatoriamente 10 pesquisadores que tiveram projetos aprovados pelo “Comitê Presidência” e pude observar que eles atuam em diversas áreas, incluindo Física, Bioquímica, Agronomia, Psicologia, Saúde Pública e Zootecnia. A única coisa em comum entre os 10 sorteados é que todos são bolsistas de produtividade. Alguém sabe do que se tratava esse “Comitê Presidência” ?

Como não poderia deixar de ser, dei uma olhada especial na área de Ciência da Computação.

Os gráficos abaixo mostram que a quantidade de projetos financiados e de instituições contempladas evoluíram de forma semelhante ao observado para o conjunto das áreas, caindo após 2007 e voltando aos níveis anteriores apenas em 2013.

projetos-cc

instituicoes-ccFinalmente, a tabela a seguir apresenta as 87 instituições que já aprovaram projetos no Edital Universal na área de Computação. Neste caso, as 20 primeiras foram responsáveis por 534 (72%) das 738 propostas aprovadas, uma concentração 18% superior ao observado no conjunto de todas as áreas.

Posição Instituição 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Total
1 Universidade de São Paulo 19 7 7 10 7 6 11 67
2 Universidade Federal de Minas Gerais 7 3 8 7 7 7 18 57
3 Universidade Federal de Pernambuco 14 2 10 6 8 5 9 54
4 Universidade Federal do Rio de Janeiro 15 3 10 4 9 6 6 53
5 Universidade Federal do Rio Grande do Sul 8 8 3 8 4 14 5 50
6 Universidade Federal do Rio Grande do Norte 4 4 5 7 4 2 5 31
7 Universidade Estadual de Campinas 6 5 3 2 3 4 7 30
8 Universidade Federal do Ceará 6 2 4 3 5 5 3 28
9 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro 7 2 2 3 8 0 2 24
10 Universidade Federal de Santa Catarina 5 2 6 3 4 1 2 23
11 Universidade Federal Fluminense 5 0 4 3 2 1 7 22
12 Universidade Federal de Campina Grande 2 0 4 1 3 0 4 14
13 Universidade Federal de São Carlos 1 1 5 1 1 2 2 13
14 Universidade Federal do Paraná 1 2 1 2 2 0 3 11
15 Universidade de Brasília 1 0 2 2 0 4 2 11
16 Universidade Federal do Amazonas 0 0 0 1 3 1 5 10
17 Universidade Federal da Bahia 2 0 2 2 0 1 2 9
18 Pontifícia Universidade Católica do Paraná 2 2 1 1 2 0 1 9
19 Laboratório Nacional de Computação Científica 1 1 2 0 2 1 2 9
20 Universidade Tecnológica Federal do Paraná 1 1 1 1 0 1 4 9
21 Universidade Federal do Pará 0 3 2 2 0 0 2 9
22 Universidade Federal do Rio Grande 0 1 1 0 4 0 3 9
23 Universidade de Fortaleza 1 3 1 0 1 1 1 8
24 Universidade Federal do Maranhão 1 1 2 0 2 1 1 8
25 Universidade Federal de Uberlândia 1 0 0 0 1 2 3 7
26 Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais 1 1 0 2 0 2 0 6
27 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul 1 2 0 0 1 0 2 6
28 Universidade Federal do ABC 0 2 1 0 1 2 0 6
29 Universidade Federal de Ouro Preto 0 1 0 1 1 2 1 6
30 Universidade Federal de Goiás 0 0 2 0 2 2 0 6
31 Universidade Federal de São Paulo 0 0 0 0 2 0 4 6
32 Universidade Federal de Lavras 1 0 1 1 1 1 0 5
33 Universidade Federal Rural de Pernambuco 1 0 1 1 0 1 1 5
34 Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 2 0 0 1 0 1 1 5
35 Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro 1 0 0 1 1 1 1 5
36 Universidade Federal da Paraíba 1 1 0 1 0 0 2* 5
37 Universidade do Estado do Rio de Janeiro 1 1 1 0 2 0 0 5
38 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho 1 1 0 0 0 0 2 4
39 Universidade de Pernambuco 3 1 0 0 0 0 0 4
40 Universidade do Estado do Rio Grande do Norte 1 2 0 0 1 0 0 4
41 Universidade Federal de Juiz de Fora 0 1 1 1 0 0 1 4
42 Universidade Federal de São João Del-Rei 0 0 0 0 0 1 3 4
43 Instituto Militar de Engenharia 1 0 0 0 2 0 0 3
44 Universidade do Vale do Itajaí 2 1 0 0 0 0 0 3
45 Universidade Estadual de Maringá 1 2 0 0 0 0 0 3
46 Universidade Católica de Pelotas 3 0 0 0 0 0 0 3
47 Universidade do Vale do Rio dos Sinos 1 0 0 0 0 0 2 3
48 Departamento de Informática 0 1 1 0 0 0 1 3
49 Universidade Federal Rural do Semi-Árido 0 0 1 0 1 0 1 3
50 Universidade Federal do Espírito Santo 0 0 1 1 0 0 1 3
51 Universidade Federal de Sergipe 0 0 0 1 0 2 0 3
52 Universidade Federal de Alagoas 0 0 0 1 1 0 1 3
53 Universidade Federal de Pelotas 0 0 0 0 0 1 2 3
54 Universidade de Passo Fundo 1 0 1 0 0 0 0 2
55 Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação 1 0 0 1 0 0 0 2
56 Universidade Católica de Brasília 2 0 0 0 0 0 0 2
57 Centro Universitário da FEI 1 0 0 0 0 0 1 2
58 Fundação Centro de Análise Pesquisa e Inovação Tecnológica 2 0 0 0 0 0 0 2
59 Instituto de Informática 0 1 0 1 0 0 0 2
60 Universidade Federal do Piauí 0 1 0 0 1 0 0 2
61 Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro 0 0 1 0 1 0 0 2
62 Universidade Católica Dom Bosco 0 0 1 1 0 0 0 2
63 Universidade Federal de Itajubá 0 0 1 0 0 1 0 2
64 Departamento de Sistemas e Computação 1 0 0 0 0 0 0 1
65 Escola de Artes, Ciências e Humanidades 1 0 0 0 0 0 0 1
66 Universidade Estadual do Ceará 1 0 0 0 0 0 0 1
67 Departamento de Informática e Matemática Aplicada 0 1 0 0 0 0 0 1
68 Universidade Estadual de Ponta Grossa 0 1 0 0 0 0 0 1
69 Departamento de Ciências da Computação 0 1 0 0 0 0 0 1
70 Centro Universitário Franciscano 0 1 0 0 0 0 0 1
71 Departamento de Ciência da Computação 0 1 0 0 0 0 0 1
72 Universidade Federal do Vale do São Francisco 0 0 0 1 0 0 0 1
73 Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia 0 0 0 0 1 0 0 1
74 Programa de Engenharia de Sistemas 0 0 0 0 0 1 0 1
75 Universidade Federal de Alfenas 0 0 0 0 0 1 0 1
76 Associação Instituto Tecnológico Vale – PA/Nazaré 0 0 0 0 0 1 0 1
77 Universidade Estadual da Paraíba 0 0 0 0 0 1 0 1
78 Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia 0 0 0 0 0 1 0 1
79 Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada 0 0 0 0 0 1 0 1
80 Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais 0 0 0 0 0 1 0 1
81 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária 0 0 0 0 0 0 1 1
82 Universidade de Santa Cruz do Sul 0 0 0 0 0 0 1 1
83 Universidade FUMEC 0 0 0 0 0 0 1 1
84 Universidade Estadual de Londrina 0 0 0 0 0 0 1 1
85 Universidade Federal de Santa Maria 0 0 0 0 0 0 1 1
86 Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação 0 0 0 0 0 0 1 1
87 Instituto de Estudos Avançados 0 0 0 0 0 0 1 1

That’s all folks!

 *: Eu sou um desses dois!  – Depois de 3 tentativas frustradas, com duas batidas na trave, este ano finalmente tive uma proposta aprovada no Edital Universal. :-)

 

Comentários

  1. […] passado escrevi um artigo apresentando uma sumarização estatística dos resultados do Edital Universal do CNPq.  Como o […]