Uma análise sobre a distribuição das bolsas de produtividade do CNPQ

As bolsas de produtividade do CNPQ, tanto em pesquisa quanto em desenvolvimento tecnológico, são consideradas um termômetro para a qualidade de um pesquisador, de um programa de pós-graduação e até mesmo para uma instituição de pesquisa.

Neste sentido, é importante termos conhecimento de como estas bolsas estão distribuídas entre as diversas instituições de ensino e pesquisa do Brasil.

O CNPQ disponibiliza em seu site um mapa de investimentos que permite listar, entre outras coisas, os nomes dos pesquisadores agraciados com uma bolsa de produtividade. Porém, da forma como a informação é apresentada no site, fica difícil ter uma visão global da distribuição destas bolsas.

Por esta razão, escrevi uns dois ou três programinhas que me permitiram extrair do site do CNPQ os dados de todos os bolsistas de produtividade em pesquisa e classifica-los de acordo com sua área de atuação e instituição, nível e modalidade de bolsa.

Vamos aos números!

Existem hoje em vigor 15096 bolsas de produtividade do CNPQ. Destas, 14350 (95%) são bolsas de Produtividade em Pesquisa (PQ) e 746 (5%) são bolsas de Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora (DT).

Estas bolsas se dividem em cinco níveis além das bolsas de produtividade sênior. A tabela abaixo ilustra a distribuição das bolsas por nível:


Nível Quantidade Percentual
1A 1312 8,69%
1B 1336 8,85%
1C 1397 9,25%
1D 2538 16,81%
2 8437 55,89%
SR 76 0,50%

A tabela a seguir apresenta os quantitativos de bolsas de produtividade por área do conhecimento. Temos um total de 105 áreas de concentração sendo possível ver que as 10 áreas com maior número de bolsistas (Física, Agronomia, Química, Medicina, Geociências, Ciência da Computação, Educação, Engenharia de Materiais e Metalúrgica, Psicologia e Engenharia Elétrica) concentram 5209 das 15096 bolsas disponíveis, o que representa 34,51% do total.

Área Quantidade Percentual
Física 920 6,09%
Agronomia 796 5,27%
Química 730 4,84%
Medicina 540 3,58%
Geociências 465 3,08%
Ciência da Computação 404 2,68%
Educação 398 2,64%
Engenharia de Materiais e Metalúrgica 336 2,23%
Psicologia 313 2,07%
Engenharia Elétrica 307 2,03%
Medicina Veterinária 307 2,03%
Matemática 300 1,99%
Engenharia Mecânica 298 1,97%
Engenharia Civil 270 1,79%
Bioquímica 267 1,77%
Zootecnia 263 1,74%
Genética 254 1,68%
História 250 1,66%
Letras 233 1,54%
Zoologia 222 1,47%
Odontologia 217 1,44%
Botânica 214 1,42%
Lingüística 213 1,41%
Economia 211 1,40%
Saúde Coletiva 208 1,38%
Ecologia 199 1,32%
Farmacologia 199 1,32%
Sociologia 197 1,30%
Ciência e Tecnologia de Alimentos 191 1,27%
Microbiologia 186 1,23%
Fisiologia 185 1,23%
Administração 178 1,18%
Enfermagem 176 1,17%
Biotecnologia 175 1,16%
Engenharia Química 165 1,09%
Imunologia 162 1,07%
Desenvolvimento Tecnológico e Industrial 156 1,03%
Farmácia 156 1,03%
Recursos Florestais e Engenharia Florestal 152 1,01%
Engenharia Agrícola 147 0,97%
Engenharia de Produção 147 0,97%
Engenharia Sanitária 146 0,97%
Parasitologia 144 0,95%
Antropologia 142 0,94%
Filosofia 142 0,94%
Comunicação 128 0,85%
Ciência Política 119 0,79%
Morfologia 118 0,78%
Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca 115 0,76%
Oceanografia 114 0,76%
Artes 105 0,70%
Arquitetura e Urbanismo 94 0,62%
Astronomia 94 0,62%
Geografia 91 0,60%
Educação Física 88 0,58%
Biofísica 83 0,55%
Ciências Ambientais 82 0,54%
Tecnologia e Inovação para Agropecuária 82 0,54%
Nutrição 81 0,54%
Engenharia Nuclear 80 0,53%
Planejamento Urbano e Regional 79 0,52%
Microeletrônica 76 0,50%
Engenharia Biomédica 72 0,48%
Serviço Social 72 0,48%
Tecnologias Médicas e da Saúde 69 0,46%
Probabilidade e Estatística 68 0,45%
Fisioterapia e Terapia Ocupacional 66 0,44%
Direito 65 0,43%
Tecnologia da Informação e Comunicação 63 0,42%
Engenharia Aeroespacial 55 0,36%
Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável 52 0,34%
Engenharia de Transportes 51 0,34%
Fonoaudiologia 49 0,32%
Ciência da Informação 45 0,30%
Arqueologia 44 0,29%
Tecnologias Educacionais e Sociais 44 0,29%
Nanotecnologia e Novos Materiais 42 0,28%
Energia 37 0,25%
Demografia 34 0,23%
Desenho Industrial 31 0,21%
Engenharia de Minas 28 0,19%
Tecnologias Ambientais 27 0,18%
Tecnologias nas áreas Aeronáutica e Aeroespacial 23 0,15%
Biodiversidade e Recursos Naturais 20 0,13%
Áreas Tecnológicas de Química e Geociências 17 0,11%
Fontes Alternativas de Energia 16 0,11%
Engenharia de Energia 13 0,09%
Engenharia Naval e Oceânica 13 0,09%
Turismo 13 0,09%
Biomedicina 9 0,06%
Teologia 8 0,05%
Áreas Tecnológicas de Física e Matemática 6 0,04%
Biologia Geral 6 0,04%
Complexo da Defesa 6 0,04%
Museologia 5 0,03%
Mudanças Climáticas 4 0,03%
Engenharia Mecatrônica 3 0,02%
Química Industrial 2 0,01%
Tecnologias Naval e Marítima 2 0,01%
Ciências Agrárias 1 0,01%
Ciências Sociais Aplicadas 1 0,01%
Divulgação Científica 1 0,01%
Economia Doméstica 1 0,01%
Multidisciplinar 1 0,01%
Tecnologia e Inovação 1 0,01%

Estes bolsistas estão distribuídos em 334 instituições. A tabela a seguir apresenta as 122 instituições que têm pelo menos 10 bolsistas de produtividade.


Instituição Quantidade Percentual
USP 2259 14,96%
UFRJ 980 6,49%
UNESP 751 4,97%
UNICAMP 727 4,82%
UFMG 697 4,62%
UFRGS 689 4,56%
UFSC 431 2,86%
UFPE 350 2,32%
UNB 337 2,23%
UFPR 314 2,08%
UERJ 288 1,91%
UFF 287 1,90%
UFV 261 1,73%
UFC 254 1,68%
FIOCRUZ 242 1,60%
EMBRAPA 241 1,60%
UNIFESP 234 1,55%
UFBA 229 1,52%
UFSCAR 229 1,52%
UFSM 211 1,40%
PUC-Rio 198 1,31%
UFPB 162 1,07%
UFRN 160 1,06%
UEM 158 1,05%
UFLA 153 1,01%
UFG 142 0,94%
UFPA 137 0,91%
PUCRS 128 0,85%
UFU 116 0,77%
UFPEL 115 0,76%
UFES 113 0,75%
UEL 106 0,70%
INPE 105 0,70%
CNEN 98 0,65%
UFRPE 87 0,58%
UNISINOS 87 0,58%
UFJF 86 0,57%
UFCG 85 0,56%
UENF 84 0,56%
UFS 78 0,52%
UFOP 74 0,49%
UFABC 70 0,46%
UFAL 64 0,42%
FURG 62 0,41%
PUC/SP 60 0,40%
UTFPR 60 0,40%
UFRRJ 59 0,39%
FGV 51 0,34%
IAC 50 0,33%
IBU 47 0,31%
IMPA 46 0,30%
PUC/PR 44 0,29%
UNIOESTE 44 0,29%
CBPF 43 0,28%
UDESC 42 0,28%
ITA 41 0,27%
UNIFEI 39 0,26%
INPA 37 0,25%
UFMA 37 0,25%
MACKENZIE 35 0,23%
UFMT 34 0,23%
UFMS 33 0,22%
UECE 32 0,21%
UEPG 32 0,21%
UFAM 32 0,21%
UNIRIO 32 0,21%
UFPI 31 0,21%
PUC Minas 30 0,20%
UESC 29 0,19%
UCS 27 0,18%
UNIVALI 27 0,18%
IME 26 0,17%
CNPEM 25 0,17%
LNCC 25 0,17%
UFGD 25 0,17%
UEFS 24 0,16%
HCPA 23 0,15%
UFERSA 23 0,15%
UFSJ 23 0,15%
ON 21 0,14%
UNESC 20 0,13%
UNINOVE 20 0,13%
IBT 19 0,13%
INCA 19 0,13%
UFT 19 0,13%
IEAv 18 0,12%
UNIFOR 18 0,12%
UPF 18 0,12%
UNIVAP 17 0,11%
UCB/DF 16 0,11%
UFTM 16 0,11%
UNICENTRO 14 0,09%
USF 14 0,09%
FAMERP 13 0,09%
FURB 13 0,09%
INSPER 13 0,09%
IP/JBRJ 13 0,09%
UFCSPA 13 0,09%
UFVJM 13 0,09%
ULBRA 13 0,09%
FEI 12 0,08%
IAE 12 0,08%
IPEN/SP 12 0,08%
IPT 12 0,08%
UCPEL 12 0,08%
UNIFRAN 12 0,08%
UNIMEP 12 0,08%
FGV-SP 11 0,07%
FOB-USP 11 0,07%
INMETRO 11 0,07%
MPEG 11 0,07%
PUC Campinas 11 0,07%
UEPB 11 0,07%
UESB 11 0,07%
UFRB 11 0,07%
UNIT 11 0,07%
CTI 10 0,07%
IAL 10 0,07%
INT 10 0,07%
ITAL 10 0,07%
UNICSUL 10 0,07%
UNIFESP-DIADEMA 10 0,07%

Estas instituições concentram 14530 (96%) dos 15096 bolsistas de produtividade. Um fato que chama atenção é que as instituições com maior número de bolsistas (USP, UFRJ, UNESP, UNICAMP, UFMG, UFRGS, UFSC, UFPE, UNB e UFPR) abrigam metade (49,91%) de todos os bolsistas de produtividade do CNPQ.

Puxando a sardinha para a minha área, resolvi analisar também os números da área de Ciência da Computação. Considerei como sendo “da área de Computação” as bolsas de “Ciência da Computação”, majoritariamente PQs, e as bolsas de “Tecnologia da Informação e Comunicação”, exclusivamente DTs.

Com isso, a área de computação concentra um total de 467 bolsistas de produtividade, sendo 401 PQs (85,9%) e 66 DTs (14,1%).

A distribuição das bolsas por nível pode ser observada na tabela a seguir:


Nível Quantidade Percentual
1A 23 4,93%
1B 21 4,50%
1C 34 7,28%
1D 76 16,27%
2 313 67,02%

Os bolsistas de produtividade na área de Computação estão espalhados em 63 instituições, listada na tabela a seguir. Nesta tabela é possível ver que a concentração de bolsas na área de computação é quase o dobro da concentração total de bolsas, ilustrada anteriormente. Na nossa área, as 10 instituições com mais bolsistas (USP, UFRJ, UFRGS, UFMG, UFPE, UNICAMP, UFF, PUC-Rio, UFSC e UFC) concentram 284 (60,8%) dos 467 bolsistas de produtividade.


Instituição Quantidade Percentual
USP 51 10,92%
UFRJ 40 8,57%
UFRGS 32 6,85%
UFMG 29 6,21%
UFPE 29 6,21%
UNICAMP 29 6,21%
UFF 24 5,14%
PUC-Rio 23 4,93%
UFSC 16 3,43%
UFC 11 2,36%
PUCRS 10 2,14%
UFRN 9 1,93%
UFSCAR 9 1,93%
UFES 8 1,71%
UFPR 8 1,71%
LNCC 7 1,50%
UFABC 7 1,50%
UNB 7 1,50%
PUC/PR 6 1,28%
UFAM 6 1,28%
UFCG 6 1,28%
UFMA 6 1,28%
UNIFOR 6 1,28%
UTFPR 6 1,28%
UERJ 5 1,07%
UFU 5 1,07%
UFAL 4 0,86%
UFMS 4 0,86%
UFOP 4 0,86%
CPqD 3 0,64%
CTI 3 0,64%
FEI 3 0,64%
IME 3 0,64%
INPE 3 0,64%
PUC Minas 3 0,64%
UFPB 3 0,64%
UNIRIO 3 0,64%
UNISINOS 3 0,64%
UNIVALI 3 0,64%
INMETRO 2 0,43%
ITA 2 0,43%
UFPA 2 0,43%
UFRPE 2 0,43%
UNESP 2 0,43%
UPE 2 0,43%
CEETEPS 1 0,21%
EACH 1 0,21%
FUCAPI 1 0,21%
FUMEC 1 0,21%
FURG 1 0,21%
IFES 1 0,21%
MACKENZIE 1 0,21%
UECE 1 0,21%
UEL 1 0,21%
UEM 1 0,21%
UFBA 1 0,21%
UFG 1 0,21%
UFJF 1 0,21%
UFLA 1 0,21%
UFS 1 0,21%
UNIFEI 1 0,21%
UNIFESP 1 0,21%
UNIJUI 1 0,21%

Finalizo com uma simples indagação. Uma instituição é renomada em sua área de atuação porque tem muitos bolsistas de produtividade ou tem muitos bolsistas de produtividade porque é renomada em sua área de atuação?

Comentários

  1. […] o embalo da análise que fiz sobre a distribuição das bolsas de produtividade em pesquisa do CNPq resolvi dar uma olhada também na universalidade do Edital […]