BBOM: A Próxima Bomba

E-commerceDepois que a Justiça finalmente decidiu por um fim na TelexFREE, um dos maiores  (se não o maior) golpes contra a economia popular do Brasil nos últimos tempos,  o mercado de “ganhar dinheiro fácil sem sair de casa” ficou livre para o crescimento exponencial da próxima grande bomba, o BBOM.

É incrível ver a que ponto a pirâmide do TelexFREE chegou antes de ter suas atividades suspensas. Há relatos de cidades nos rincões mais longínquos do pais onde metade da população é divulgador desta empresa que comercializa um serviço de VoIP que não funciona no Brasil, ou seja, que simplesmente não tem um produto a ser vendido por aqui.

Dando uma olhada no Alexa, que reúne estatísticas de acesso a sites web, é possível ver que o site da TelexFREE é, ainda hoje, 01/07/2013, o 33o mais popular no Brasil, a frente de sites como o do Portal de Notícias R7, do site do Governo de São Paulo, do site das lojas Americanas e, até mesmo, de sites pornográficos como o RedTube.

bbom1

O BBOM alega ser diferente da TelexFREE pois comercializa um produto “tangível” (serviço de rastreamento) ao invés de um produto “intangível” (serviço de VoIP). Porém, a dinâmica de funcionamento de mais este negócio formidável é a mesma.

O usuário aplica uma quantia inicial no serviço, no caso do BBOM,  entre R$ 600,00 e R$ 3.000,00 a título de estar adquirindo um conjunto de equipamentos de rastreamento (ao invés de um conjunto de pacotes de VoIP) para serem alugados pela própria BBOM, e começa a receber imediatamente um percentual do aluguel mensal desses equipamentos.

Os pacotes para investimento inicial do BBOM são os seguintes:

  • Pacote Bronze: investimento de R$ 600,00 e ganho mensal de R$ 160,00
  • Pacote Prata: investimento inicial de R$ 1.800,00 e ganho mensal de R$ 480,00
  • Pacote Ouro: investimento inicial de R$ 3.000,00 e ganho mensal de R$ 800,00

Ou seja, independente do pacote de investimento escolhido pelo investidor, e de os rastreadores adquiridos serem efetivamente alugados para algum cliente final, o BBOM garante um inacreditável retorno mínimo de 26,7% ao mês.

Repito, o investimento no BBOM, sem considerar o intrincadíssimo e incompreensível esquema de bônus e porcentagens referentes a formação da pirâmide do binário e a incerteza envolvida no aluguel dos tais rastreadores, gera um retorno mínimo de 26,7% ao mês.

Numa época em que a bolsa de valores opera em queda, com uma grande desvalorização de empresas extremamente rentáveis como a Petrobras, onde a caderneta de poupança tem um rendimento mensal de 0,5% e onde as empresas do Eike Batista tiveram um prejuízo de mais de R$ 1 bilhão só no primeiro trimestre de 2013 surge a BBOM gerando um rendimento de 26,7% ao mês.

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Eike, sei que você está lendo esta postagem neste momento então deixo aqui um conselho: pare de investir em empresas de petróleo e mineração e bote seu dinheiro no BBOM! 

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Esse tipo de “investimento” oferecido por BBOM e TelexFREE é insustentável pois a receita gerada pela suposta comercialização dos produtos é muito menor do que a despesa com os “divulgadores”. O esquema só se mantém enquanto novos participantes ingressam no sistema. Quando a quantidade de novos participantes não é mais suficiente para remunerar os divulgadores a pirâmide desmorona e deixa todos que estão na base, os últimos a ingressar no esquema, na merda no prejuízo.

Se a BBOM crescer na velocidade que cresceu a TelexFREE daqui a pouco teremos mais rastreadores no mercado do que objetos a serem rastreados.

Encerro esta postagem com um vídeo educativo muito adequado para este momento:

Comentários

  1. Cesar Almeida diz:

    Alguns EQUIVOCOS desta analise:

    1. O divulgador “começa a receber imediatamente um percentual do aluguel mensal desses equipamentos”. Na verdade, apenas apos 60 dias de aquisicao do pacote, o divulgador comeca a receber o bonus comodato – um dos 7 tipos de bonus hoje oferecidos -, tempo que a empresa pede para colocar no mercado os produtos em comodato.

    2. “a receita gerada pela suposta comercialização dos produtos é muito menor do que a despesa com os ‘divulgadores’ “. Na verdade, depois de pagar todos os bonus, impostos e despesas associadas, a BBOM tem lucro liquido de R$ 21,00 por cada rastreador comercializado. A BBOM hoje esta’ entre as maiores geradoras de tributos do Estado de Sao Paulo. Se o negocio acabasse hoje, pagando todos os bonus a todos os divulgadores, e recolhendo todos os Impostos (que sao retidos na fonte), a BBOM ainda teria um lucro liquido de R$ 10.000.000,00.

    3. “O esquema só se mantém enquanto novos participantes ingressam no sistema”. Na verdade, neste negocio de Marketing de Multinivel (MMN) que a BBOM oferece, o contrato e’ anual. Ou seja, apos 1 ano, quem quiser continuar na rede de relacionamento, continua. Quem nao quiser, sai. E o negocio continua. Sabe por que?!

    A sustentabilidade do negocio consiste em que, alem da rede de relacionamento ser muito importante, a BBOM e’ o braço de MMN de divulgacao e distribuição do Grupo Embrasystem, formado pelas empresas Unepxmil (rede de franquias), Eaglesat (indústria de equipamentos para a saúde), Ecadil (indústria química e farmacêutica), Extrato Flora (indústria de cosméticos), Life’s (indústria de energéticos e suplementos alimentares), Soggiorno Caffé (indústria de café premium) e a divisão BBOM Telecom.

    Entao, na verdade, o que hoje sao rastreadores, amanha sera’ um leque maior de produtos.

    A BBOM tem demonstrado que e’ uma empresa seria, comprometida com a etica e a sustentabilidade do negocio, e que veio pra ficar. Ao lado de muitas outras empresas serias que atuam no MMN ha’ décadas – como Amway, Herbalife, Polishop (mais recentemente), entre outras.

    Obrigado por publicar um ponto de vista diferente de que aqui foi publicado.

    P.S.: Desculpa pela ausencia de pontuação em muitas palavras – limitações de teclado.

  2. alexandre diz:

    Olá Cesar, vou deixar de lado toda a parte referente aos binários e bonus e fazer apenas duas perguntas:

    Primeira: Por que alguém ou alguma empresa contrataria o serviço de rastreamento da BBOM, que custa R$ 79,90 por mês em um contrato de 36 meses (totalizando R$ 2.876,40) ao invés de simplesmente comprar um dos inúmeros rastreadores veiculares disponíveis hoje no mercado e que não têm mensalidade e custam menos de R$ 300,00?

    Segunda: Permita-me fazer um cálculo com a sua correção em relação a remuneração inicial, mais uma vez, sem considerar os diversos bônus oferecidos. O contrato é de um ano e o divulgador precisa esperar 60 dias para começar a receber. Portanto, ele investirá, por exemplo, R$ 1.800,00 e receberá em um ano 10 parcelas de R$ 480,00, tendo um lucro final de R$ 3.000,00, correto?.
    Se meus cálculos estiverem certos, isso representa um ganho de 167% em um ano! Você poderia citar alguma outra atividade comercial lícita que gere um retorno semelhante?

  3. César Almeida diz:

    Olá, Alexandre!

    Respondendo às suas perguntas:

    1. A vantagem do serviço de rastreamento da BBOM é que o indivíduo e/ou a empresa não gasta com a compra de um equipamento de R$ 300,00 (por exemplo), nem precisa pagar, em média, R$ 150,00 por mês de crédito para colocar no chip pré-pago (de qualquer operadora de celular) que fica no rastreador – é assim que funciona esses rastreadores sem mensalidade. Pode pesquisar. Faça as contas e veja que é mais vantajoso contratar o serviço de comodato da BBOM.

    2. Na verdade, utilizando o seu exemplo, o divulgador ao adquirir um pacote prata de R$ 1.800,00, ele está adquirindo o equivalente a 12 rastreadores. Um fica com ele, e os 11 restantes a BBOM se compromete em colocar no mercado, em regime de comodato, através das suas mais de 800 franquias espalhadas pelo país (onde os pedidos destes produtos até fevereiro de 2014 já foram efetuados). Após 60 dias, ele receberá pelos próximos 12 meses seguintes o valor líquido de R$ 400,00 – porque a mensalidade de R$ 80,00 do rastreador que ele próprio adquiriu (e vem com Nota Fiscal) é debitada automaticamente da sua conta. E esse valor líquido é resultado da sua participação no negócio de comodato.

    Agora eu te pergunto, Alexandre: onde está a ilicitude deste negócio? Qual legislação e/ou regulamentação vigente(s) a BBOM está infringindo através do seu Marketing de Multinível?

    A BBOM é uma empresa transparente, com endereço fixo e acessível a seus associados, clientes e demais interessados. Uma empresa sem dívidas, que paga todos os seus tributos e impostos. E está à disposição de qualquer esfera do poder público para consultas e informações sobre o seu modelo de negócio.

    Alexandre, a BBOM veio pra ficar, com ética e compromisso com a sustentabilidade do negócio, e, por conseguinte, com seus mais de 500 funcionários e os mais de 3000 indiretos, além das centenas de milhares de associados.

    Mais uma vez, obrigado por publicar um ponto de vista diferente do seu.

  4. alexandre diz:

    César, a ilicitude está no fato deste negócio ser simplesmente insustentável. Não há como uma empresa que teoricamente vive do aluguel de localizadores automotivos gerar um retorno de mais de 100% ao ano.

    Pergunto a você, se você fosse o dono de um negócio como esse, que gera esse enorme lucro anual, você convidaria milhares de pessoas para dividir o lucro com você ou contrairia um empréstimo bancário com juros bem mais baixos que o retorno apresentado e financiaria o negócio sozinho?

    Simplesmente não faz sentido! Por que que ao invés de pedir para eu colocar R$ 1.800,00 na empresa e ter um lucro de mais de 100% a BBOM não pega R$ 1.800,00 emprestados no banco e fica com esse lucro todo para ela?

    Se o negócio é tão sustentável e sem riscos como você diz, que tal você assinar e registrar em cartório um contrato com os divulgadores da sua rede se comprometendo a arcar com todo e qualquer prejuízo que eles venham a ter ao ingressar no BBOM?

    Nada mais justo, afinal, você lucra com o ingresso deles na rede.

    Você poderia colocar algum bem seu como garantia no contrato e concretizar toda a sua confiança na longevidade e lucratividade da BBOM.

    Se você topar assinar e registrar em cartório esse contrato eu passo a fazer propaganda para o pessoal ingressar na sua rede de divulgadores do BBOM.

    A propósito, lembro que em todo esquema de pirâmide 90% dos participantes (a base da pirâmide) sempre leva prejuízo!

  5. Eu costumo comparar os defensores das pirâmides aos líderes-empresários religiosos: utilizam-se de falácias, manipulam, escondem informação, pois na prática a verdade é sempre a mesma: é tudo sobre lucrar. Não é sobre prover renda para outras pessoas, não é sobre a empresa ser justa, é sobre tirar o SEU investimento, é sobre ganância, egocentrismo, forrar o bucho, fazer a cama, ser rico; é tudo no próprio umbigo (danem-se). Uma pena que tantos tentem vender uma mentira com tamanho empenho, como o faz o Cezar. Alexandre, qualquer álgebra básica quebra esses sistemas em vários pontos, mas o Cezar sabe disso, nesse caso não se trata de falta de conhecimento. Mas sei também que suas respostas têm como alvo os outros leitores, então parabéns. Vou findar por deixar somente um pensamento: se o BBOM erradica pobreza, taí o redentor do mundo, leva ele pra África e pronto! No meio do caminho abre uma fábrica de dinheiro (sim, o de papel), porque dobrando a renda mensal da população mundial a cada seis meses nem sei como fica.

  6. A propósito, até sei como fica sim. No hipotético cenário onde todo mundo adere ao BBOM, e ele (mentira) faz a população inteira enriquecer, a economia estoura com inflação devido ao novo super poder de compra da população, e os dinheiros suaaados (mentira) do BBOM passam a valer nada. Aí penso: mas pra que explicar isso, né? Tem gente fingindo que não sabe fazer conta de álgebra, que dirá a lei de oferta e procura e seu impacto na inflação.

  7. Paulo diz:

    “Pergunto a você, se você fosse o dono de um negócio como esse, que gera esse enorme lucro anual, você convidaria milhares de pessoas para dividir o lucro com você ou contrairia um empréstimo bancário com juros bem mais baixos que o retorno apresentado e financiaria o negócio sozinho?

    Simplesmente não faz sentido! Por que que ao invés de pedir para eu colocar R$ 1.800,00 na empresa e ter um lucro de mais de 100% a BBOM não pega R$ 1.800,00 emprestados no banco e fica com esse lucro todo para ela?”

    Comentário pertinentíssimo. Difícil o Cezar voltar com mais algum depois deste.

  8. Pedro diz:

    Esse negocio da BBom parece negocio do Egito, a empresa faz tudo por vc que por sua vez não precisa fazer nada! Ela arruma os “clientes” “aluga” e repassa parte do lucro transferido da economia dos populares para a conta desta empresa de “marketing multinível”.

    É como se eu comprasse vários produtos da empresa x e ela fizesse o trabalho de arrumar, vender e me dar o lucro, ou seja nao faz sentido! Puro plano de capitalização da empresa com recurso do povo!

    A única coisa que você precisa fazer e colocar o seu dinheiro e arrumar mais gente da sua rede de contatos para que também coloquem dinheiro no negocio assim a empresa consegue garantir o pagamento de quem esta acima!

    Inventar demanda de produto de fachada para justificar sustentabilidade só cola para quem acredita em papai noel!

    Sem falar nos tais 19rastreadores , eles existem? Para quem foram “alugados”? Você como proprietário tem o direito de exigir isto da empresa!

    Dica: procure empresa seria que esteja na ABEVED, vá trabalhar, vender algo de real valor para as pessoas! Abraço a todos

  9. John diz:

    Bancos e operadoras de cartão de crédito são atividades lícitas com estes ganhos.

  10. César Almeida diz:

    Olá Alexandre!

    Obrigado por me permitir participar deste pequeno papo.

    Por favor, permita-me encerrar minha participação no teu blog reagindo ao teu último comentário:

    1. Você não apresentou nenhuma legislação ou regulamentação vigente que a BBOM esteja infringindo através do MMN. Você emitiu uma sentença pessoal e baseado nela determinou que o negócio é “ilícito”. Honestamente, a minha análise pessoal não determina se um negócio é ilícito ou não, só as leis devidamente regulamentadas possuem essa prerrogativa. Vamos fazer o seguinte: vamos deixar o MP determinar se é ilícito ou não o negócio da BBOM.

    2. Quanto à sustentabilidade do negócio, vamos usar mais vez o teu exemplo:
    Alguém ou alguma empresa que contrata o serviço de rastreamento da BBOM, que custa R$ 79,90 por mês em um contrato de 36 meses, terá pago ao final um total de R$ 2.876,40.
    Quando você adquire um pacote prata, por exemplo, você está adquirindo o equivalente a 12 rastreadores (incluindo o seu). O comodato destes 12 rastreadores vai gerar uma receita para a empresa, ao final de 36 meses (período do contrato), de R$ 34.560,80.
    Quanto a BBOM vai pagar a você líquido por ter adquirido esse pacote, ao final de 12 meses? R$ 4.800,00.
    Qual é o lucro da BBOM nesse negócio? Vou deixar você calcular e me dizer…

    3. Agora eu te pergunto: Num mercado nacional que possui uma frota estimada de 70.000.000 de veículos… E um nicho de 65.000.000 de veículos ainda sem rastreadores… Com o CONTRAN baixando uma regulamentação sobre a obrigatoriedade do uso de rastreadores… Com a BBOM comercializando esse produto através da sua crescente rede de franquias UNIPEXMIL (cujo número já passou faz tempo de 800), um negócio deste é insustentável, Alexandre?

    3.1. Interessa a quem fazer com quem as pessoas acreditem que um negócio deste é uma pirâmide financeira?

    3.2. Vou ser mais direto: qual é o seu interesse em querer fazer que as pessoas acreditem que o MMN da BBOM se trata de uma pirâmide?

    4. Outra coisa, Alexandre: Afirmar que um negócio, por ser sustentável, é livre de riscos, é, no mínimo, leviano… Eu seria um leviano, se tivesse dito ou escrito isso. Toda pessoa esclarecida sabe que toda e qualquer atividade comercial possui seu nível de riscos…

    4.1. Agora, querer incutir na cabeça das pessoas que o MMN de uma empresa como a BBOM, que faz parte de um grupo de empresas e negócios que eu já descrevi anteriormente aqui, é maior do que qualquer outra atividade comercial cujo modelo de negócio é p tradicional, isso é, para o dizer o mínimo, subestimar a inteligência das pessoas. Qual é hoje a atividade comercial com modelo de negócio tradicional que é exigida dos seus sócios que entrem como subsidiários, dando como garantia os seus bens pessoais? Vamos ser coerentes, Alexandre!

    5. Cara, como escrevi no começo, eu vou encerrando por aqui minha participação neste papo, porque minha intenção era esclarecer, e não levantar uma disputa.

    6. Mais uma vez, obrigado por me permitir participar desta conversa a partir de uma perspectiva diferente da sua.

    7. Se você quiser entrar num negócio de MMN sério como a BBOM, trabalhando com pessoas sérias, comprometidas com a ética e a sustentabilidade do negócio, estou aqui pra te ajudar. Meu e-mail pessoal você já tem. Meu e-mail de negócios é: henriquemmn@terra.com.br

    Um abraço!

  11. Marco Aurélio diz:

    Quero dizer a todos os amigos, que 40% do PIB americano está relacionado ao marketing multinível, e que a BBom só traz o novo, e como temos dificuldade em lidar com o novo surge peripécias como as lidas anteriormente, se acharem que o sistema BBOm está errado acabem com o capitalismo, por que a estrutura desse sistema é piramidal, só que tem um detalhe, a base é o povo, tudo na vida é pirâmide, desde quando vc nasce com seu pai e sua mãe mandando em vc, passando pelo seu chefe, alguns as esposas, e termina com o coveiro mandando a pá de cal por cima de vc, parem de hipocrisia, a BBOM traz o que já acontece numa nova roupagem, o sistema mundial é piramidal.

  12. alexandre diz:

    Marco, você tem alguma referencia, que não seja da BBOM, que comprove essa história dos 40% do PIB americano ?

  13. alexandre diz:

    Cesar, a única parte inovadora da BBOM é o discurso para arrebanhar novos participantes. O resto é a bom e velho esquema Ponzi.

  14. alexandre diz:

    Quanto a deixar o Ministério Público atuar, com certeza isso vai acontecer. Só espero que não demore tanto quanto com a TelexFREE para que tanta gente não leve prejuízo.

  15. Paulo Eduardo diz:

    Quanta ignorância, ter que ler isso de 40% do PIB americano ser marketing multinível me dá pena, nessas horas vejo que tem pessoas que realmente acreditam nessas falácias, não tem o mínimo de senso crítico, o pior que fico com medo desse tipo de gente, elas se transformam em fanáticos como esses religiosos, e não há argumento que os faça acreditar ao contrário, ainda mais que puseram dinheiro em um golpe, sendo que se admitissem que fazem parte de um esquema de pirâmide consequentemente seriam taxados de trouxas, desonestos, ingênuos, e outros adjetivos a mais, assim defendem sua posição com unhas e dentes nem que isso vá contra a lógica.

  16. Lucas diz:

    1 o rastreador custa 300, mas o rastreador ainda precisa de um serviço mensal para que o rastreador funcione e o diferencial da BBOM é esse: o contratante não precisa comprar o rastreador, isso já foi feito pelo divulgador, basta pagar a mensalidade.

    2 a primeira parcela é recebida após 60 dias, mas ainda assim são 12 parcelas, ou seja, 14 meses de contrato.

  17. RENATO diz:

    A verdade sobre isso tudo veremos com o passar do tempo.

  18. Cesar diz:

    Algumas informações equivocadas na divulgação da nota do TRF de Goiás:

    1. “no sistema adotado pela BBOM os interessados associam-se mediante o pagamento de uma taxa de cadastro (R$ 60,00)”. Não e’ verdade. Não existe essa taxa de cadastro.

    2. “obrigando-se a atrair novos associados e a pagar um taxa mensal obrigatória no valor de R$ 80,00 pelo prazo de 36 meses”. Nenhum associado e’ obrigado a atrair novos associados para receber rendimentos! Na verdade, ao adquirir um dos pacotes de rastreadores, o associado esta’ adquirindo um rastreador, que e’ entregue na sua casa e instalado, se quiser, em uma das franquias da empresa. E, pelo serviço de rastreamento, ele paga uma mensalidade de R$80,00 por 12 (doze) meses – este e’ o período do contrato com a BBOM, e não 36 meses. E, por ele ter investido na empresa, e estar utilizando o serviço de rastreamento, a empresa se compromete EM CONTRATO a remunera’-lo, após 60 dias da aquisição do pacote, com 50% das 12 primeiras mensalidades dos rastreadores restantes de seu pacote, locados em contratos de 36 meses com o consumidor final – que adquire o produto através das franquias.
    Então, nenhum associado e’ obrigado a atrair novos associados sequer para receber seus rendimentos por ter investido na empresa. Agora, se o associado trouxer novos associados, que adquirirem novos pacotes de rastreadores, ela paga comissões (bônus) por isso, sim. Contudo, uma coisa não e’ pre’-requisito para a outra, entende?

    3. “o pagamento dos participantes depende exclusivamente do recrutamento por ele feito de novos associados”. Equívoco colossal esse, meu caro! Como ja’ relatei anteriormente, a remuneração não depende EXCLUSIVAMENTE do recrutamento de novos associados.

    4. “o rastreador utilizado em veículos é uma estação de telecomunicações que necessita ser licenciada pela agência, e não foi concedida pela ANATEL autorização à empresa EMBRASYSTEM, conhecida por BBOM ou UNEPXMIL, para trabalhar com esse tipo de produto.”
    Esta informação aqui, particularmente, tem fortes indícios de que foi plantada pra gerar confusão… Tudo bem, o rastreador tem que ser licenciado pela ANATEL, e os modelos que são comercializados pela UNEPXMIL/BBOM são fabricados pela Maxtrac e pela Calemp, os quais possuem sim certificação da ANATEL – disponível para consulta pública on-line no site da agência, inclusive.
    Agora, o que se quer dizer com “autorização para trabalhar com esse tipo de produto”? Fabricar? Ja’ se sabe que a empresa não fabrica. Vender/alugar? Pra VENDER/ALUGAR uma “estação de telecomunicações” tem que ter autorização da ANATEL? Estranho… eu me pergunto se todos os hipermercados, lojas de departamento e demais lojas afins do Brasil possuem autorização da ANATEL para vender celulares, tablets etc… (a propósito, quase todos com rastreadores embutidos).

    Por fim, quero comentar so’ mais uma informação divulgada pelo TRF de Goias: “A ‘sustentabilidade’ do negócio não advém da renda gerada pela venda do produto supostamente objeto da franquia, que se trata um rastreador”. Cara, se eles conseguirem provar que não existem as 1795 franquias (nem os 17 anos) que a empresa diz que tem, ai’ eu me calo e reconheço que, de fato, foi um golpe fenomenal que esses caras aplicaram. Agora, caso contrário, com todas essas informações equivocadas sendo divulgadas indiscriminadamente… meu caro, o odor do jogo de interesses ficará insuportável…

  19. alexandre diz:

    César, não se preocupe, se tudo isso que você diz é verdade, em breve a BBOM voltará a atuar normalmente.

  20. haussman diz:

    KKKKKKK, banquei o idiota, mas acho que consegui me reencontrar, orientado no tempo e no espaço (espero). 1) O que está sendo dito é que o CONTRAN ou DENATRAN vai obrigar o uso de rastreadores? Pelo que sei será somente para veículos novos, de fábrica. 2) A história dos outros 11 rastreadores “adquiridos” diz que eles são locados por terceiros, mesmo desconhecidos, nas franquias e não pelo próprio “investidor”? É isso mesmo?

  21. Antonio Henrique diz:

    Quanta inocência Sr. César Almeida!!

    Acompanhamos o caso na mídia escrita e falada e constatamos que a BBom tem cerca de 300 mil associados. Façamos um cálculo simples: 300 mil asssociados x 10 rastreadores = 3 milhões de rastreadores (números bem conservadores, em que foi considerado o plano prata de 1500 reais e 10 rastreadores, quando, certamente a grande maioria investe 3000 reais do plano ouro – 20 rastreadores, além de que muitos “investidores” possuem várias cotas). Destes 3 milhões descontamos 300 mil que são assumidos pelos associados. Sobram 2 milhões e 700 mil rastreadores para a BBom pagar comodato mensal de 40 reais, ou seja, 108.000.000 por mês. Descontada a mensalidade obrigatória do associado (80 x 300.000 = 24.000.000) ainda fica um saldo de 84 milhões de reais . Isso mesmo: 84 milhões por mês. De onde vem este dinheiro, já que a BBom ainda nem conseguiu entregar o rastreador obrigatório dos associados??? Comodato de nada é igual a nada!!!

    Nos cálculos anteriores, por baixo, foi estimado um volume de 2 milhões e setecentos mil rastreadores que a BBom terá que remunerar seus associados, mensalmente, com 40 reais referentes ao “comodato” de um rastreador que sequer foi produzido ainda. Alguém já se deu conta do mercado brasileiro de rastreadores?? Várias empresas há muitos anos no mercado não chegam nem a um décimo dos rastreadores “vendidos” pela BBom!! Como se explica isso???

    O mais estranho de tudo isso é que, após comercializar 3 milhões de rastreadores (por baixo) junto aos seus 300 mil associados, a BBom informou à justiça que já instalou 14 mil rastreadores negociados em comodato e encomendou a entrega de mais 70 mil equipamentos!!!!! Ou seja não conseguiu instalar nem o rastreador do associado, que “teoricamente” está pagando mensalmente um comodato de 80 reais. Na verdade está bem longe disso, já que são 300 mil associados a serem atendidos!!!!

    Para finalizar, ao visitar o site da Maxtrack, fabricante do rastreador MXT-140, oferecido pela BBom, constatamos que, em um dos vídeos, a empresa informa que tem capacidade para produzir mensalmente em torno de 50 mil rastreadores. A empresa fabrica 14 tipos de equipamentos, entre rastreadores e acessórios, não sendo especificado qual seria a quantidade produzida do rastreador MXT-140, objeto do comodato da BBom. Ou seja, mesmo que a Maxtrack fabricasse exclusivamente 50 mil rastreadores MXT-140 por mês para a BBom seriam necessários 60 meses (5 anos) para atender o que já foi comercializado. Isso mesmo…. 5 anos!!!!

    Há alguma possibilidade disso dar certo?????????

  22. Walter diz:

    Atividade comercial??? Ser politico, rende muito mais…